segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Uma semana.

Será que é somente eu que constatei isso, ou mais alguém também? Existem pessoas que eu acho que sintam inveja dos que irão realizar a gastro. Só pode ser isso, pois o que mais faria uma pessoa da tua família mudar radicalmente a forma de te tratar após saber que tu irá fazer a cirurgia. Tem uma pessoa na minha família, da qual eu sempre fui muito próxima mas de uns tempos pra cá antes de decidir fazer a gastro comecei a ficar chateada com ela e tal, pois cada vez que eu sentava pra fazer uma refeição, ela vinha falar que eu ia ficar obesa e ia ter que fazer a mesma coisa que a minha irmã. Isso vinha me chateando muito, ainda mais vindo de uma pessoa que está bem acima do peso, e toma remédio fortes para emagrecer, mas sempre sofrendo do efeito sanfona. Quando eu contei que iria fazer a cirurgia, ela fez pouco caso o que já me deixou chateada. Não quero que as pessoas fiquem ao meu redor perguntando tudo e tal, mas uma pessoa tão próxima, poderia se preocupar um pouco contigo e querer se informar e tal. Mas eu fui relevando, só que um dia minha irmã me contou que ela sempre ficava perguntando se eu ja tinha desistido da cirurgia. Isso me deixou furiosa, como alguém que sempre teve ali do teu lado faz isso???
Minha irmã disse que nem me contou no dia, pois o que eu menos precisava agora era saber desses comentários. PORQUE as pessoas são tão cruéis com que é obeso? Primeiro ficam fazendo comentários maldosos porque tu tá gorda, e depois quando tu toma uma atitude e resolve mudar, ai invés de te apoiarem, fazem esse tipo de coisa. Todos acham que ser gordo é uma opção, NINGUÉM QUER SER GORDO! Temos sim nossa parcela de culpa, pois anos de maus hábitos, sedentarismo, dietas sem sucesso, excessos, acabam na obesidade, mas isso acontece involuntariamente, não conheço uma pessoa que sonhou a vida toda ser obesa. Ainda pensam toda vez que te olham obeso, que porque tu tá relaxada com o peso, tu é relaxada na vida. Sempre o apelido gorda, vem acompanhado com um maloqueira, suja ou relaxada. Se tu ofender um gay, um negro, uma pessoa de outra religião com apelidos pejorativos é preconceito, porque falar isso e humilhar uma pessoa obesa não é considerado preconceito também??


Mudando de assunto, já estou na dieta líquida/pastosa até quinta. Essa dieta pré-cirurgica é tranquila, pode comer de duas em duas horas e as quantidade são livres.
Agora de manhã tomei um leite (odeio mas preciso tomar, ainda o sem lactose pois sou sensível a ela) e agora de lanche acho que vai ser um suco mesmo.


Beeeijos menina, e ótima semana a todas!

domingo, 28 de novembro de 2010

HELP!

Eu sou muito mula com coisas relacionada a computador, então se alguém puder me ajudar :)
Fiz aquela regua com a evolução do peso, mas não consigo colocar no blog, se puderem me ajudar, agradeço muito gente!

Cirurgia marcada!!!!

Olá meninas! Desculpem a falta de posts essa semana, é que eu tive um crise de enxqueca, então ficar na frente do pc era algo impossível. Bom, marquei a cirurgia (achei que esse dia não ia chegar nunca) ficou marcada para o dia 03/12, sexta-feira que vem às 13:30. Vou internar no dia mesmo, devo chegar lá às 11:30, com 4 dias de dieta líquida e 8 horas de jejum. Minha cirurgia vai ser aberta mesmo, pois meu plano não cobre por vídeo. Até teria como entrar na justiça e tal, mas depois de eles liberarem assim tão fácil, achei melhor me contentar com a aberta mesmo. O Dr acha que serão nescessários uns 5 dias de hospitalização.




Começo minha dieta líquida/pastosa na segunda-feira, então vou aproveitar para fazer a despedida no aniversário da minha mãe, hoje de noite. Isso de fazer despedidas é tão estranho, pq ai sim vejo como minha cabeça é de gordo mesmo. Parece que nunca mais vou comer na vida, afff. To vendo que o pior da recuperação é educar o cerébro mesmo.

Já tá bem tarde então é isso! Amanhã eu volto.
Obrigada as meninas que passam por aqui!
Beeeeeijos

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A perícia!

Não sei se com todos é assim, mas tenho a sensação que a partir do momento que tu entra no edíficio, sede, escritorio do seu convênio, todos tem absolutamente o dom de te tratar mal, como se tivessem fazendo um favor. Na sexta-feira então as 13:30, horario em que eles começam as perícias a tarde, eu tava lá sentada com a ficha 13. Eu entrei na sala tão preparada para a cirurgia ser negada, com um discurso na ponta da língua, pedindo justificativa por escrito, nome e crm do médico, que nem acreditei quando ela carimbou o papel com um liberado pelo convênio. A médica era a mesma que fez a perícia da minha irmã a três anos! Ela leu somente três dos seis laudos que eu levei, olhou um exame e me pesou. A altura ela somente perguntou. Foi bem fria, mas educada. Quando ela terminou eu levantei rapido puxei minha mãe e sai da sala, acho que era medo de ela voltar atras haha.
Voltei para casa pensando que eu realmente dei sorte, porque pelo o que leio pelos blogs a maioria dos pacientes tem que fazer mais de uma perícia, acho isso um completo absurdo da parte dos convênios que vem seus pacientes somente como um número de IMC, sem levar em conta todos os problemas que a obesidade pode estar causando a essa pessoa. Enfim, tomara que essa postura mude com o tempo, porque pagar um bom dinheiro de plano de saúde para ter acesso a ele, e quando realmente se precisa ter esse direito negado, é de deixar qualquer ser humano irritado.

Beeeeijos, e muito obrigado as meninas que comentaram!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Senta que lá vem história... haha

Sai radiante do consultorio médico! Na sala de espera eu estava uma pilha de nervos mas sai de lá muito aliviada. No fim da semana já liguei para a secretaria e marquei minhas primeiras consultas com a nutricionista, psicologa, endocrino e preparadora física. Acho que realmente dei sorte na escolha do médico, pois toda a equipe multidisciplinar atende no mesmo prédio, o que facilitou muito, já que eu ia uma duas vezes por semana lá. Na época eu tava fazendo cursinho pré-vestibular, mas decidi trancar o curso para poder me dedicar aos preparativos da cirurgia, assim ficaria mais tranquilo conciliar tudo. Assim começou a maratona de exames, fui duas vezes ao laboratorio coletar sangue, raio-x, ecografia e endoscopia. Depois de todos os exames prontos retornei a endocrino para a consulta final, com ela seriam só duas mesmo. Ela fez meu laudo e disse que estava mais do que na hora de eu operar, se não minha saúde ia ficar cada vez pior. Após isso terminei as consultas com a psicologa (4 no total) e com a nutri (3 com ela), agora só faltava o cardiologista. Liguei para o consultorio e quase chorei para a secretária, expliquei a situação, que eu precisava desse ultimo laudo para a pericia e tal, ela foi super gente boa e conseguiu um encaixe. Lá fui eu, ele disse que estava tudo ok, mas que eu precisaria realizar um eletrocardiograma só para checar mesmo! Caminhei mais um pouco em um sol torrante, fui ao hospital e  consegui marcar para o dia seguinte mesmo, ficaria pronto na hora e depois do exame eu retornaria no cardiologista para ele me dar o laudo. Feito isso retornei ao meu cirurgião para pegar a guia e levar ao plano de saúde, como não precisava marcar hora, peguei o laudo e fomos eu e minha mãe a sede do plano de saúde.


Bom fiz um resumão geral do processo, no proximo post falo da perícia!
Muito obrigada as meninas que passaram aqui e deixaram recadinhos, agradeço de coração!
Beeeeeijos!

Do ínicio!

Bom vamos começar então! No geral até certa idade fui uma criança com um peso normal, amava doces, mas como era muito ativa eu comia e nem sentia um aumento no peso. Com uns 9, 10 anos meu peso começou a aumentar, até certo ponto eu era maior que as outras crianças, e com isso passei a cada ver ser mais sedentaria, pois tinha vergonha de praticar exercícios na frente dos outros, já que sempre ouvia todas aquelas piadinhas! As dietas começaram ai, até que com 11 anos tomei meu primeiro remédio para emagrecer ( minha mãe sempre foi neurotica com peso, então pra ela era normal uma criança tomar esse tipo de medicamento) fiz inumeras dietas, a das sementes, da proteina, com endocrino, enfim muitas tentativas frustradas. Com a adolescencia as coisas só pioraram, eu não tinha vontade de ir à escola pois as piadas e comentários eram quase insuportáveis. Fiz mais algumas dietas que deram certo, mas por pouquíssimo tempo, já que eram sempre a base de remédios ou de não comer nada o dia todo. No meio do caminho, acabei desenvolvendo um quadro de bulimia, onde eu vomitava até a água que eu tomava. Mas era um ciclo vicioso pois quanto mais eu vomitava mais comia também, achava que podia encher o espaço de novo. Por sorte minha mãe percebeu esse disturbio cedo e eu passei a frenquentar as consultas psiquiatricas semanalmente. A bulimia eu consegui tratar mas o que se mostrava mais evidente na terapia é que o peso era meu grande problema, fiquei com um grande trauma devido as piadas que eu sempre escutava, e por isso me sentia horrível. Minha irmã sempre sofreu com o peso também, até mais do que eu. Então há três anos atrás ela fez a gastroplastia, na época ela estava com 110 kg, no começo a família ficou um pouco preocupada, mas após frequentarmos as reuniões do grupo, ficamos totalmente á vontade com a idéia. Então no dia 6 de dezembro de 2007 ela fez a cirurgia. A recuperção foi tranquila, nada de anormal. E hoje ela está magra e saudável. Eu não pensava em cirurgia, pois sabia que não tinha o peso e IMC nescessários, confesso que isso me desanimava mais ainda de alguma forma. Até que em maio deste ano, fiz a cirurgia pra tirar a vísicula pois estava com calculos, e no processo dos exames descobri que tinha uma hérnia de disco na coluna lombar, ai então descobri porque estava com dificuldades para caminhar e dores horríveis na coluna. Fui levando por mais alguns meses, até que em setembro um episódio mudou tudo. Fui com minha irmã na loja Marisa, pra ver se achava alguma calça que servisse, peguei alguns modelos 48 e somente um serviu ( apertado ainda) me senti muito mal, pois isso acontecia sempre comigo, nunca comprei uma roupa da qual eu gostasse e sim a que servia. Eu então disse para ela que se pudesse estaria disposta a fazer a cirurgia, mas achava até então que era impossível, pois ai ela me disse que por causa da minha hérnia talvez eu poderia operar, ja que o peso e as dores estavam limitando muito minha vida ( moro no terceiro andar e toda vez ao chegar em casa é uma tortura subir tudo isso ). Na semana seguinte marquei a consulta com o mesmo cirurgião que operou a minha irmã, cheguei lá achando que ele me chamaria de louca e me mandaria para casa. Mas para minha surpresa ele depois de listar todos os problemas de saúde que eu tinha me disse que mesmo que meu IMC não fosse 40 eu poderia operar, pois quando o paciente possui comorbidades esse IMC passa para 35, número que eu já tinha. A partir deste dia minha perspectiva de vida e de futuro mudou, pois agora teria uma segunda chance para me alimentar corretamente e ter uma vida saudável.


UUUUFA que post longo, mas essa é uma parte da minha história. O resto continuo depois!
Sou meio jeca com computador, por isso o blog é bem simples!

Beeeijos

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Por que ela fugiu mesmo?

Bom, pra começar educadamente vou me apresentar! Meu nome é Paula, tenho 18 anos e sim resolvi publicar mais um blog sobre a gastroplastia. Sei que já existem milhares, mas acho que preciso de um cantinho para poder contar minhas experíencias, como se fosse um diário, já que o proprio de papel não me atrai resolvi criar um blog.
Meu objetivo é contar todas as peripécias (alguém ainda usa essa palavra?) que é a preparação para a gastro, o pós, meus pensamentos e idéias!

Foi um breve começo, se quiserem saber da minha história é só continuar lendo, que em breve conto o resto!

Beijos, enquanto eu saboreio um pedaço de bolo e vou me despedindo desse mundo gorduroso!